Se você foi o responsável pela colisão e prejuízos suportados pelo outro envolvido, o aconselhável é solicitar que o prejudicado providencie 3 (três) orçamentos em oficinas reconhecidas para o conserto do veículo. Com base nestes orçamentos, você pode acordar de pagar o menor valor, ou então o valor que ficar entre o menor e o maior orçamentos. Sempre que efetuar o pagamento, exija recibo discriminando o valor que está sendo recebido, bem como a finalidade do pagamento que está sendo realizado. Se você acordar o pagamento da dívida em parcelas, sempre que efetuar o pagamento exija seu recibo. Se os pagamento forem feitos mediante depósito bancário, o comprovante de depósito servirá como recibo de pagamento para todos os efeitos legais.
Quando você terminar de pagar o parcelamento ou efetuar o pagamento em sua integralidade em uma única oportunidade, o ideal é solicitar um termo de quitação dos prejuízos suportados pelo prejudicado, para que você possa se resguardar de eventual futura ação para cobrança de outros valores. Este termo pode até estar constar no próprio recibo de pagamento da última parcela ou recibo único, se for o caso.

O livro Manual Prático de Acidente de Trânsito aborda todos os possíveis danos que uma pessoa possa sofrer em decorrência de um acidente de trânsito, bem como os procedimentos para entrar com uma ação judicial para reaver os danos suportados.

Deixe seu comentário

Current day month ye@r *