Quando a negociação é feita somente entre as partes envolvidas, pode ser desnecessária a interveniência do advogado.
Porém, caso a negociação seja difícil e as partes não entram em acordo, o advogado poderá intervir e até resolver a situação sem ajuizar demanda judicial para cobrar os valores. Poderá ser feito um acordo extrajudicial, em que o devedor se compromete a pagar a dívida de determinada forma acordada. Neste acordo, poderá ser estipulada uma multa em caso de atraso ou inadimplência de qualquer parcela do acordo, forçando assim o cumprimento do contrato por parte do devedor.

Caso o acordo seja descumprido, basta ao credor executar o acordo em juízo, pois se trata de um título executivo extrajudicial (como um cheque ou uma duplicata), e como no acordo já vai estar reconhecida a dívida, não será necessária a discussão da culpa no acidente. Ou seja, a ação de execução recairá diretamente nos bens do devedor, com possibilidade de penhoras e bloqueio de contas bancárias, por exemplo.

Além disso, dependendo do valor da dívida (até 40 salários mínimos), poderá ser ajuizada demanda no Juizado Especial, o que isenta a parte de custas de cartório.

O livro Manual Prático de Acidente de Trânsito traz várias informações sobre um processo judicial que envolve acidente de trânsito. No livro são indicadas várias decisões judiciais sobre diferentes tipos de acidente de trânsito.

Deixe seu comentário